5 acertos a fazer na célula se ela não está multiplicando

É fato que existem células que não têm gerado a multiplicação como deveriam. Algumas passam anos se reunindo tendo perdido o propósito principal – a multiplicação.

Quando isso acontece, faz-se necessária uma avaliação do que precisa ser acertado e a célula volte a dar frutos. Seguem os cinco acertos mais comuns que precisam ser realizados em células que não estão multiplicando:

1º – Avaliar o “DNA” da célula

É preciso que o supervisor avalie o “DNA” da célula em questão, pois uma célula com “DNA” saudável gera outra célula com “DNA” saudável. Então, se a célula não está multiplicando, o “DNA” não está, assim, tão correto.

Um “DNA” correto envolve muita comunhão entre os membros de célula, o treinamento de novos líderes, discipulado e acompanhamento de líderes e membros, dentre outras coisas.

Quando o supervisor avalia e percebe que o “DNA” não está alinhado, o acerto precisa ser feito para que a célula volte a ser uma célula saudável. Assim, a multiplicação se dará automaticamente.

2º – Avaliar o Líder da célula

Infelizmente, existem líderes que estão dirigindo células sem que tenham sentido o “chamado” genuíno.

São pessoas que foram “colocadas” na posição de liderança devido a suas habilidades. Quem sabe, por pressão de um supervisor que almejasse multiplicar e vendo o potencial da pessoa, investiu a ele uma posição de liderança.

Acontece muito isso… a pessoa não quer liderar, mas se sente pressionada a aceitar o convite de sua liderança e a célula vai se arrastando por anos, pois este tipo de líder não está apaixonado e envolvido com o verdadeiro propósito de uma célula – ganhar, cuidar e edificar vidas para que também digam “sim” ao chamado de Deus para suas vidas.

Em casos assim, o ideal é treinar este líder com carinho e avaliar o seu “chamado”. Se, de fato, for constatado o “chamado”, o supervisor ou o discipulador precisa ajudá-lo a senti-lo em seu espírito.

Somente um líder apaixonado por vidas consegue avançar com o trabalho de células de forma eficiente e eficaz. E, para que esteja apaixonado, ele precisa ter tido um “encontro com Deus” onde o seu “chamado” é revelado em seu espírito.

3º – Avaliar o Anfitrião da célula

Os anfitriões chegam a ser mais importante que os próprios líderes em alguns casos. Suas casas são a referência da Igreja local. É onde as pessoas buscam por socorro na ora do aperto.

Sabe, existem anfitriões que são bênção para a multiplicação, mas há outros que, de fato, são um problema tão grande que chegam a comprometer o bom andamento da célula.

Um bom anfitrião precisa estar pronto para abrir sua casa no dia e na hora planejados, sabe recepcionar as pessoas de forma que elas se sentem confortáveis e amadas, dentre tantas outras características.

É preciso, antes de se abrir uma nova casa para uma futura célula, que se treine os anfitriões. É no treinamento que ele será exposto a situações reais que acontecem nas células e buscar de Deus se este é ou não o seu “chamado”.

Agora, se o problema da célula for o anfitrião, o conselho é – treine-o e dê-lhe a oportunidade de ser transformado pelo Espírito Santo. Caso ele não mude, o supervisor precisará buscar um novo local para que esta célula esteja acontecendo.

4º – Avaliar se existem “panelinhas” na célula

Uma das piores coisas que podem acontecer em uma célula é a formação de “panelinhas” (grupos de amizades que envolvem apenas alguns membros do grupo da célula).

Esta formação atrapalha a formação de novos líderes, atrapalha o desenvolvimento da célula, atrapalha a comunhão e, por consequência, atrapalha a multiplicação da célula.

Quando isso acontece, duas soluções podem ser sugeridas:

1ª – Mesclar a célula com outras células – separar os irmãos que fazem parte do grupo fechado fazendo uma troca entre as células. Desta forma, novos irmãos estarão chegando e o grupo tende a se renovar. No entanto, é preciso que haja uma supervisão para que não se formem novas “panelinhas”;

2ª – Chamar o grupo para uma conversa séria de realinhamento de propósitos – explicar os propósitos e mostrar como isso pode estar prejudicando outras pessoas de se achegarem a Deus através das células, bem como, do potencial de cada um em ajudar no Reino de Deus, pode ter um resultado muito benéfico para o grupo. Uma boa conversa pode trazer ao grupo maturidade e crescimento.

5º – Avaliar o Supervisor

Como você pôde perceber, o supervisor é o que faz a “engrenagem” das células funcionar.

É ele que acompanha os líderes, que verifica e avalia os anfitriões, que reúne com a equipe para comunhões e projetos, dentre tantas outras funções. Por isso, é muito importante a liderança investir no treinamento e no acompanhamento do supervisor, pois é ele que faz tudo acontecer.

Quando a liderança consegue levantar bons supervisores, a multiplicação é muito natural. Ele acompanha e anima o líder que possa estar com alguma dificuldade, ele motiva o anfitrião, ele ajuda a treinar o líder no pastoreio do grupo e nos futuros discipulados e etc…

Cuidando assim, ombro a ombro, não tem como a célula perder o “DNA”, o líder desmotivar ou anfitrião dar algum tipo de problema, porque o supervisor está presente e pronto para servir e ajudar.

Se você estiver interessado em se aprofundar ainda mais sobre como levantar e treinar Supervisores de Sucesso, eu recomendo o Curso de Supervisores de Células. Um curso totalmente online, prático, objetivo e que tem ajudado ministérios do mundo inteiro. Que tal levar a sua liderança a um nível mais alto? Pense nisso!