Erros que cometi na minha caminhada ministerial no trabalho com células

Sou Pastor há muito tempo e entendo que não há nada melhor do que ouvir e compartilhar o que tem dado certo nos projetos de outros irmãos.

Tão importante quanto ouvir o que deu certo é ouvir o que não deu certo para que não se vá por aquele caminho.

Por isso, quero compartilhar os sete principais erros que eu cometi, pois, se eu tivesse parado para ouvir os erros de alguns, talvez eu não tivesse cometido alguns erros.

1º Erro que eu cometi – Ter separado a Igreja em grupos

Assim que começou a queimar em meu coração a visão celular, eu não conhecia o MDA e separei a Igreja em Grupos de Vida, pedindo que alguns irmãos estivessem à frente destes grupos.

O resultado foi catastrófico!

Fui buscar conhecimento na Visão do MDA, reagrupei a Igreja e recomecei todo o projeto da maneira certa, com uma célula protótipo e muitos treinamentos.

2º Erro que eu cometi – Treinar pessoas na mente e não no coração

Assim que recomecei os trabalhos com células, já na Visão do MDA, eu treinava muito a equipe. Eram treinamentos atrás de treinamentos.

Com o tempo, eu descobri que o trabalho na Visão do MDA só funciona se o ensinamento for recebido no coração e não só na mente.

O treinamento é ótimo e precisa existir. O erro é não se ter o contato um a um para que se transfira o coração e o “DNA”.

Então, eu aprendi que, como líder principal da Igreja, eu precisava ter este coração e estar bem perto da minha equipe principal e dos meus liderados para ir transferindo este coração.

3º Erro que eu cometi – Forçar as pessoas a participarem de uma célula e de discipulado um a um

Eu estava tão empolgado para que as pessoas participassem dos projetos que acabava por, sem querer, forçar as pessoas a estarem envolvidas. Com isso, acabei perdendo muitas pessoas. Pessoas preciosas, das quais eu sinto falta e que reconheço que se estivessem ao meu lado estariam somando e muito.

Eu aprendi que nada que é “obrigado” funciona. As pessoas precisam querer participar das células por livre e espontânea vontade. As pessoas precisam querer o discipulado por escolha própria. Só assim os projetos alcançarão resultados positivos.

Hoje eu ensino a minha equipe que não force ninguém a nada. Se a pessoa não quer participar da célula, deixe-a como membro. O importante é que ela esteja feliz e se sentindo amada e aceita. Se a pessoa não quer ser discipulada, tudo bem, ame-a como ovelha e discipule quem já recebeu a revelação desta necessidade.

4º Erro que cometi – Colocar pessoas despreparadas para liderar

Chegou um momento em que começaram a chegar muitas pessoas e o crescimento foi acontecendo rapidamente. Neste momento, levado pela pressão, eu acabei levantando líderes que não estavam totalmente preparados para estarem à frente das células que se multiplicavam.

Em meio ao grande crescimento, vários problemas começaram a aparecer decorrentes deste erro: líderes que desistiram da liderança por se sentirem frustrados, problemas nas células pelo despreparo do líder, ovelhas que se perderam, dentre tantos outros.

Tudo isso porque me deixei levar pela pressão do mover de crescimento e levantei pessoas despreparadas como líderes.

É preciso resistir à pressão do mover de crescimento. O preparo de quem estará liderando é essencial tanto para a boa caminhada do líder que estará sendo levantado, quanto para os resultados para o grupo que estará se formando.

5º Erro que cometi – Dar células de “graça” para algumas pessoas

Em meio à pressão do mover de crescimento, era preciso que uma estrutura de supervisão de setor, de área e etc.

Para que se formasse esta estrutura, deleguei os “cargos” a irmãos que estavam trabalhando conosco e que se mostravam fiéis. Por vezes, um irmão precisava multiplicar e eu dava a liderança a outro irmão que não tinha participado do crescimento e da edificação daquela célula, por exemplo. Nestes casos, como o líder que recebeu a célula de “graça” não havia ganhado as pessoas, ele não conseguia alcançar resultados. Como ele não havia ganhado o coração das pessoas, consequentemente, elas não o viam como líder.

A frustração foi em cadeia. Os supervisores estavam frustrados porque suas orientações não surtiam efeito, os líderes, estavam frustrados porque seus liderados não os seguiam nas direções dos supervisores e os liderados confusos.

É muito importante que se vença as pressões e que não se delegue “cargos”. Não se pode “dar células”. Células são conquistadas através do trabalho árduo de ganhar os corações de cada membro. Aquele que ganhar, precisa cuidar.

6º Erro que cometi – Lançar muitos projetos de uma única vez

Desde que decidi me envolver com a Visão do MDA, viajo muito em busca de conhecimento, leio muitos livros e ouço muitas mensagens. Vi muitos treinamentos e estratégias sendo usados e, quando volto, sempre volto cheio de ideias.

Em meio à pressão do crescimento, eu lançava estratégias atrás de estratégias.  Eu não conseguia focar em uma única estratégia. Eu tinha direção. Eu queria crescer e tudo o que eu via e ouvia que poderia me ajudar, eu praticava.

Resultado de tudo isso? A cabeça do povo ficou confusa e não se praticava nenhum dos projetos com deveria.

Diante de tantas estratégias que temos a disposição, é preciso que se foque em uma ou, no máximo duas, para que o povo tenha tempo de absorver e praticar até o fim. Só assim o resultado de crescimento positivo aparecerá.

7º Erro que cometi – Não corrigir as pessoas em nome do amor

A Visão do MDA trabalha muito com o amor incondicional. Porém, houve casos que as pessoas em nome do amor, entenderam que amar não é educar e deixaram de corrigir alguns irmãos em nome do amor.

Contudo, a Visão do MDA é bem clara quando ensina a respeito de que quem ama, confronta. Fala-se muito do confronto “pão, carne, pão”, onde o pão é o carinho, o elogio e a carne, o confronto. Desta maneira, quando um irmão precisa ser confrontado, o será em amor.

Tenho aprendido que quem ama confronta; quem ama ensina; quem ama educa.

Aquele que, em nome do amor, deixa de confrontar, ensinar e educar, este terá problemas muito sérios em pouco tempo.

O verdadeiro amor se alegra com a verdade, por isso, precisamos ensinar a verdade.